Dados e Fatos sobre o Câncer de Mama

Posted on

Incidência do Câncer de Mama

No Brasil, de acordo com as estimativas mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. São esperados anualmente 57.120 casos novos de câncer de mama, com um risco estimado médio de 56 casos a cada 100 mil mulheres (1).

O risco da doença, no entanto, varia imensamente ao longo do território brasileiro. O Estado do Rio Grande do Sul, por exemplo, tem a maior taxa de incidência, com 87 casos esperados a cada 100 mil mulheres, e o Estado do Acre, por sua vez, tem a menor taxa de incidência, com 10 casos estimados a cada 100 mil mulheres.

Essa diferença nas incidências está associada tanto a fatores genéticos quanto às diferentes exposições da população aos fatores de risco e de proteção associados à doença. Segundo estudos epidemiológicos, os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de mama relacionados ao estilo de vida são: o aumento das medidas antropométricas ao longo da vida adulta (circunferência da cintura e peso) e a ingestão de bebida alcoólica. Já os principais fatores protetores são a lactação e a prática de atividade física (2). Ao contrário de alguns outros cânceres, o câncer de mama está diretamente relacionado ao processo de industrialização, com risco de adoecimento associado ao maior status socioeconômico (3).

Mortalidade por Câncer de Mama

Em 2013, o país registrou 14.206 óbitos de mulheres por câncer de mama, o que significa que aproximadamente 38 mulheres morreram por câncer de mama por dia no ano em questão. Este número representa aproximadamente 16% dos óbitos por câncer entre mulheres, e o coloca como a principal causa de morte por câncer e a segunda principal causa de morte como um todo entre mulheres, atrás das doenças cardiovasculares (4). Veja este estudo aqui.

Analisando a mortalidade por faixa etária, observa-se que os óbitos por câncer de mama se concentram em mulheres com 20 anos de idade ou mais, sendo que 49% dos óbitos ocorreu entre mulheres na faixa etária de 20 a 59 anos e 51% entre mulheres na faixa etária de 60 anos ou mais.

Por fim, destaca-se que o total de óbitos por câncer de mama cresceu a uma taxa média de 3,75% ao ano entre 2008 e 2013, acumulando um crescimento médio de 20% no período.

Frente ao aumento nas taxas de incidência e mortalidade nos últimos quarenta anos, o câncer de mama vem se transformando paulatinamente em um grave problema de saúde pública tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento (3).

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres, é a principal causa de morte por câncer e a segunda principal causa de morte como um todo entre mulheres.

Notas:
(1) INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil, 2014. Disponível on line em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2014/.
(2) Inumaru LE; Silveira EA; Naves MMV. Fatores de risco e de proteção para câncer de mama: uma revisão sistemática. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro; 27(7): 1259-1270, 2011. Disponível on line em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2011000700002&script=sci_arttext.
A Taxa de Incidência é medida pelo número de casos novos por 100.000 habitantes.
(3) Guerra MR; Gallo CVM; Mendonça GAS. Risco de câncer no Brasil: tendências e estudos epidemiológicos mais recentes. Rev Bras Cancerol; 51(3): 227-34, 2005. Disponível on line em: http://www.inca.gov.br/Rbc/n_51/v03/pdf/revisao1.pdf.
(4) Para o cálculo, considera-se apenas a categoria “C50 Neoplasia Maligna de Mama” do Capítulo II da 10ª Revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID10).

Fonte dos dados:
INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil, 2014. Disponível on line em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2014/.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Disponível on line em: http://www2.datasus.gov.br/.